AVALIAÇÃO DO CONTEÚDO DE GENÉTICA E BIOLOGIA NOS VESTIBULARES DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS

  • Flávia Melo Rodrigues
  • Ricardo Silva Moura Universidade Estadual de Goiás - UEG
Palavras-chave: Vestibular, genética, biologia, interdisciplinaridade

Resumo

O vestibular é uma fase na vida educacional que deve ser analisada, pois permite obter a relação entre os conteúdos ministrados no Ensino Médio e o desempenho dos estudantes na resolução das questões nesses exames. Sendo assim, este estudo objetivou analisar os conteúdos de Genética exigidos no exame de vestibular da Universidade Estadual de Goiás (UEG/GO) em um período de dez anos identificando os conteúdos de biologia geral e genética e fazendo levantamento das questões interdisciplinares, em biologia e genética, cobradas nos vestibulares da UEG. Os dados foram coletados a partir das análises das provas dos Processos Seletivos (vestibular). A partir desse estudo foi possível observar que o número de questões de Genética abordadas nos vestibulares da UEG é baixo, porém é a área da biologia que se observou maior número de questões. Poucas questões ainda são genuinamente interdisciplinares, tanto em biologia geral, quanto em genética.

Biografia do Autor

Flávia Melo Rodrigues
Departamento de Ciências Bilógicas, UEG/UnUCET, Área: Genética.
Ricardo Silva Moura, Universidade Estadual de Goiás - UEG
Departamento de Ciências Bilógicas, UEG/UnUCET, Área: Genética.

Referências

- AMAURO, N. Q. Caracterização do nível de conhecimento químico dos alunos egressos do Ensino Médio brasileiro. São Paulo, 2004, 176p. Dissertação de Mestrado. Pós-Graduação em Ciências. Instituto de Química de São Carlos, Universidade de São Paulo (USP).

- BACCHETTO, J. G. Cursinhos pré-vestibulares alternativos no município de São Paulo (1191 à 2000): a luta pela igualdade no acesso ao ensino superior. São Paulo. Dissertação de Mestrado. Pós-Graduação em Educação. Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo (USP). P 5-11. 2003.

- BONZANINI, T.K.; BASTOS F. Concepções de alunos do ensino médio sobre clonagem, organismos transgênicos e Projeto Genoma Humano. In: V ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, 2005. BAURU: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PESQUISA EM ENSINO DE CIÊNCIAS.

- BRASIL. Decreto-Lei nº 8.659, de Abril de 1911. Disponível em: <http://www2.camara.gov.br/legin/fed/decret/1910-1919/decreto-8659-5-abril-1911-517247-norma-pe.html> Acesso em 15 out., 2012.

- BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional.nº 9394/96, de 20 de dezembro, de 1996. Disponível em: <http://www.mec.gov.br.> Acesso em 15 out., 2012.

- CANTIELLO, A. C.; TRIVELATO, S. L. F. Dificuldades de vestibulandos em questões de genética. In: IV Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, 2003, Bauru. Atas do Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Bauru: ABRAPEC, 2003. vol. 4.

- DIAS, M. A. S. Dificuldades na aprendizagem dos conteúdos de biologia: evidências a partir das provas de múltipla escolha do vestibular da UFRN (2001-2008). Rio Grande do Norte, 2008, 275p. Tese de Doutorado. Pós-Graduação em Educação. Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

- DRIVER, R., NEWTON, P., & OSBORNE, J. Establishing the norms of scientific argumentation in classrooms. Science Education, v. 84, n. 3, p. 287-312, 2000.

- FAZENDA, I. Práticas interdisciplinares na escola. Editora Cortez, São Paulo, 2001.

- FAZENDA, I. Integração e interdisciplinaridade no ensino brasileiro. Efetividade ou ideologia, 4a edição, Edições Loyola, São Paulo, 1996.

- FRANCISCO, G. C. B. O ensino de genética: uma abordagem a partir dos estudos sociais da ciência e da tecnologia (ESTC). Blumenau, 2005. Dissertação (Mestrado) – Universidade Regional de Blumenau.

- FRANZOLIN, F.; BIZZO,N. M. V. Conteúdos de Genética Básicos Para a Formação de Cidadãos Críticos no Ensino Médio Segundo Professores e Docentes: Em Comparação com o Defendido na Literatura. In: IX SEMINÁRIO DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO DA REGIÃO SUL, 2012, Caxias do Sul: Seminário de Pesquisa em Educação da Região Sul.

- JAPIASSU, H. Interdisciplinaridade e patologia do saber. Imago. Rio de Janeiro, 1976.

- KRASILCHIK, M. Reformas e Realidade: o caso do ensino das ciências. São Paulo em Perspectiva, v. 14, n. 1, p. 85-93, 2000.

- MACÊDO, P.B., CONCEIÇÃO, E. M., AMORIM, L.B., SANTOS, G.D., ARAÚJO, D.R.S., MAIA, R.T. Análise qualitativa das questões sobre o conteúdo de genética das primeiras e segundas etapas dos vestibulares nos últimos cinco anos da UFPE/UFRPE. Disponível em: <http://www.sigeventos.com.br/jepex/inscricao/resumos/0001/r0541-3.pdf.> Acesso em 15 out. 2012.

- MALLET, J.; WILLMOTT, K. Taxonomy: renaissance or Tower of Babel. In: TRENDS IN ECOLOGYAND EVOLUTION, 2003. V. 18, n. 2, p. 57-59.

- SANTOS, L. L. de C. P. Políticas públicas para o ensino fundamental: Parâmetros Curriculares Nacionais e Sistema Nacional de Avaliação (SAEB). Educação e Sociedade, v. 23 n. 80, p. 356-359, 2002.

- SANTOS, S. C. S. TERAN, A. F. Perfis e Concepções Relacionadas à Disciplina de Ciências Naturais sobre o Ensino De Zoologia dos Profissionais do Ensino Fundamental em Manaus-Amazonas, Brasil. In: XX ENCONTRO DE PESQUISA EDUCACIONAL NORTE NORDESTE, 2011. Manaus: xx Encontro de Pesquisa Educacional Norte Nordeste.

- TADEU, M.; GUELERO, M. Análise da argumentação presente em textos escritos de genética. Enseñanza de lasCiencias, Número Extra. In: VIII CONGRESSO INTERNACIONAL SOBRE INVESTIGACIÓN EM DIDÁCTICA DE LAS CIENCIAS, 2009. Barcelona: VIII Congresso Internacional sobre Investigación en Didáctica de las Ciencias. p.548-551.

- XAVIER, M.C.F.; FREIRE, A.S.; MORAES, M.O. A nova (moderna) biologia e a genética nos livros didáticos de biologia no ensino médio. Ciência e Educação, v. 12, n. 3, p.275-289, 2006.

- ZOHAR, A.; NEMET, F. Fostering Students’ Knowledge and Argumentation Skills Through Dilemmas in Human Genetics. Journal of Reserch in Science Teaching, v. 39, n. 1, p. 35-62, 2002.

Publicado
2014-10-03
Seção
Ciências Biológicas