Assembléia de Aves no Percurso Urbano do Córrego Tamanduá em Iporá, Goiás

  • Andressa Ranielle Mendes Albado Universidade Estadual de Goiás
  • Kamila Bentes da Silva Universidade Estadual de Goiás
  • Daniel Blamires Universidade Estadual de Goiás

Resumo

A avifauna no percurso urbano de um córrego em Iporá foi estudada, entre janeiro a novembro de 2018 e janeiro de 2019 (N=12), com a contagem por pontos, sendo registradas 78 espécies. A riqueza segundo Jackknife1=94,50 e as curvas acumulativas assintóticas demonstraram a eficácia do método. A abundância relativa (IPA) das espécies evidenciou uma relação positiva e significativa para a direita, um resultado esperado para comunidades animais. Houve uma influência significativa da densidade de árvores na riqueza (R²=0,64; p<0,01), com mais espécies nos pontos de maior densidade arbórea. Predominaram as espécies insetívoras e onívoras, conforme esperado para áreas úmidas urbanizadas. Entretanto, a terceira maior proporção de frugívoros sugere a influência das plantas frutíferas, abundantes em quintais e lotes baldios, e o menor uso da terra na paisagem circunvizinha à malha urbana. A manutenção da cobertura vegetal neste percurso e seu enriquecimento com árvores nativas seriam fundamentais para a conservação avifaunística.

Biografia do Autor

Daniel Blamires, Universidade Estadual de Goiás

Graduado em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Goiás (1997), mestre em Biologia- modalidade ecologia- pela Universidade Federal de Goiás (2001) e doutor em Ciências Ambientais pela Universidade Federal de Goiás (2007). Docente em regime de Dedicação Exclusiva do curso de Licenciatura em Biologia da Universidade Estadual de Goiás, Campus Iporá. Professor/orientador do mestrado em Ambiente e Sociedade (UEG- Campus Morrinhos). Editor de seção- Revista Sapiência. Experiência em Ecologia de Comunidades, Ornitologia, Cerrado e Macroecologia.

Publicado
2020-03-20
Seção
Artigos