ATRIBUTOS FÍSICO E FÍSICO-QUÍMICOS DA FARINHA DE MANDIOCA PRODUZIDA NO VALE DO COPIOBA/BRASIL: UM ESTUDO COMPLEMENTAR À INDICAÇÃO GEOGRÁFICA

  • Augusto Cezar Martins S. da Silva
  • Janice Izabel Druzian
  • Ryzia de Cássia Vieira Cardoso
  • Adriana Lucia da Costa Souza Universidade Federal de Sergipe
  • Carolina Oliveira de Souza

Resumo

O objetivo deste estudo foi caracterizar as farinhas de copioba e mandioca produzidas no Vale de Copioba (localizado no Recôncavo Baiano, Brasil) e fora dele, verificando a conformidade com os parâmetros de identidade e qualidade (PIQ), além das composições físico-químicos e morfológicos, contribuindo para um pedido de indicação geográfica (IG) do produto. 100% das amostras A e C atendiam aos requisitos de umidade e cinzas. A exceção foi o teor de fibras, em que 20% das amostras de B não corresponderam, e o teor de amido, em que 20% (A) e 30% (B e C) apresentaram valores inferiores aos parâmetros da legislação (³80 %). As Micrografias Eletrônicas de Varredura também mostraram características morfológicas diferenciadas de A. A amostra A é principalmente do Tipo 1, com classificação mais baixa como fora do tipo, enquanto as amostras C são principalmente do Tipo 3 e fora do tipo. As amostras B está distribuído nos 4 tipos. Esses parâmetros juntos são considerados fatores diferenciadores das farinhas de Copioba em relação às farinhas produzidas em outras regiões, as quais, juntamente com as características climáticas e a notoriedade histórica reconhecida, podem apoiar uma solicitação de IG, trazendo benefícios sociais e econômicos para a região e apelando ao uso seguro do produto.

Publicado
2020-11-02