O romanês falado pelos ciganos kalderash do município de Aparecida de Goiânia – Goiás

  • Elza Kioko Nakayama Nenoki Murata Professora Adjunta da Universidade Federal de Goiás (UFG)
Palavras-chave: Ciganos Kalderash. Romani. Dialeto Romanês

Resumo

Este trabalho visa à identificação do dialeto romanês falado pelo grupo cigano kalderash, de Aparecida de Goiânia, Goiás. Nesta perspectiva, farei um estudo comparativo entre a descrição apresentada por Ian Hancock no livro A handbook of vlax Romani (1995) sobre o romani, língua universal dos ciganos kalderash, e a descrição feita a partir de minha pesquisa de campo na qual convivi semanalmente de agosto de 2009 a agosto de 2010 coletando vocábulos, expressões do romanês e observando o dia a dia desses ciganos. O objetivo deste artigo é mostrar que os dados por mim coletados apontam para o fato de esse grupo não só usar o romanês em diversas situações como conversas entre os familiares, entre os próprios ciganos, nos cultos (são evangélicos), mas que também mantém muito mais da língua original, o romani. Assim, pode-se concluir que se levarmos em conta os aspectos morfológicos e sintáticos do romanês e o seu uso exclusivo entre a família e o grupo, os Kalderash de Aparecida de Goiânia ainda conservam grande parte de sua língua.

Biografia do Autor

Elza Kioko Nakayama Nenoki Murata, Professora Adjunta da Universidade Federal de Goiás (UFG)

Professora Adjunta da Universidade Federal de Goiás (UFG), coordenadora do Núcleo de Pesquisa Linguagem e Imaginário (Nelim). Doutora em Língua Portuguesa pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), com Pós-Doutorado em Linguística pela Universidade de Brasília (UnB).

Seção
Linguística