RIGIDEZ ARTERIAL COMO MARCADOR PARA AVALIAÇÃO DOS EFEITOS CARDIOVASCULARES DO EXERCÍCIO FÍSICO

  • Ademir Schmidt Universidade Estadual de Goiás
  • Priscila Valverde de Oliveira Vitorino

Resumo

As doenças cardiovasculares (DCV) atingem milhares de pessoas em todo o mundo e sua prevalência aumenta com a idade. Entretanto, como consequência principalmente da má alimentação e do sedentarismo, observa-se o aumento de fatores de risco cardiovasculares (FRCV) e de DCV propriamente ditas em crianças e adolescentes. Duas formas de atuação preventiva para esse grupo de doenças são: a adoção de estilo de vida saudável, com destaque para a prática de exercício físico e a identificação precoce, antes do aparecimento de sintomas clínicos, da doença cardiovascular. Neste contexto, a medida da rigidez arterial identificada, por exemplo por meio da velocidade de onda de pulso (VOP) e obtida pela medida central da pressão arterial é uma ferramenta importante. Valores de VOP acima dos parâmetros de normalidade representam enrijecimento arterial e estão associados ao aumento da morbimortalidade. Outro aspecto relevante é o estudo da resposta da rigidez arterial frente ao exercício físico que pode auxiliar na sua prescrição e monitoramento. 

Palavras-chave: Rigidez Vascular. Análise da Onda de Pulso. Doenças Cardiovasculares. Fatores de Risco. Exercício. 

Publicado
2018-08-25
Seção
Artigo Original