EFEITOS DA CINESIOTERAPIA EM IDOSOS COM OSTEOARTRITE DE JOELHO NA AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE FUNCIONAL E NO TORQUE ISOMÉTRICO

  • Márcia Barbanera Universidade São Judas Tadeu
  • Patricia Martins Franciulli Universidade São Judas Tadeu
  • Paula Nunes Cordeiro Soares Universidade São Judas
  • Mariana Santos Rabelo Universidade São Judas Tadeu
Palavras-chave: Idoso, Fisioterapia, Cinesioterapia, Osteoartrite.

Resumo

A fisioterapia tem um papel fundamental na reabilitação de idosos com osteoartrite. Objetivo: Avaliar o efeito da cinesioterapia para idosos com osteoartrite de joelho. Métodos: Participaram 13 indivíduos com diagnóstico médico de osteoartrite de joelho, que realizaram avaliação da capacidade funcional pelo questionário de Lequesne e avaliação do torque dos músculos flexores e extensores do joelho pelo dinamômetro isocinético Biodex System 3. A pesquisa foi dividida em fases A, B e C. Na fase A ocorreu a primeira avaliação, seguida de 6 semanas sem tratamento. Na fase B foi realizada a segunda avaliação e início do protocolo de tratamento de 6 semanas. A fase C foi constituída pela reavaliação dos pacientes após a intervenção. O protocolo de cinesioterapia foi elaborado com exercícios de mobilização, fortalecimento e alongamento dos membros inferiores. Resultados: Houve melhora da capacidade funcional após a intervenção. A avaliação do torque apresentou diferença significativa entre as fases, sendo que houve aumento do torque isométrico extensor após o tratamento. Conclusão: O programa de reabilitação cinesioterapêutica proposto neste estudo foi eficaz, pois proporcionou aumento da força muscular extensora da articulação do joelho, melhora das atividades de vida diária e a qualidade de vida dos indivíduos.

Biografia do Autor

Márcia Barbanera, Universidade São Judas Tadeu
Fisioterapeuta. Mestre e doutora pelo IOT do HCFMUSP. Docente tempo integral do curso de fisioterapia da USJT
Patricia Martins Franciulli, Universidade São Judas Tadeu
Possui graduação em Fisioterapia pela Universidade São Judas Tadeu (USJT) e especialização pela Escola Paulista de Medicina (CETE-UNIFESP), mestrado em Educação Física pela USJT e doutorado em Ciências pela Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo (EEFE-USP) no departamento de biodinâmica do movimento humano. Docente de tempo integral do curso de fisioterapia, educação física, odontologia e enfermagem da Universidade São Judas Tadeu. Supervisora de estágios em fisioterapia neurofuncional e atenção à saúde do idoso (gerontologia). Atua nas linhas de pesquisa: recursos terapêuticos, biomecânica do movimento humano, fisioterapia neurofuncional e fisioterapia gerontológica.
Publicado
2019-03-04
Seção
Artigo Original